Brasil

Eleição suplementar para governador do Amazonas terá segundo turno

Brasil 07/08/2017/ 00:03:23
Eleição suplementar para governador do Amazonas terá segundo turno

MANAUS - Mais de 2 milhões de eleitores foram àsurnas neste domingo, 6, para escolher o novo governador do Amazonas. Com maisde 96% das urnas apuradas, já foi definido que haverpa segundo turno entre os candidatosAmazonino Mendes (PDT) e Eduardo Braga (PMDB). A nova data de votação estámarcada para o dia 27 deste mês.

 

O candidato do PDT foi o maisvotado na eleição deste domingo, sendo o escolhido por mais de 559mil eleitores do Amazonas (39% dos votos). Senador pelo PMDB, Eduardo Bragaobteve 24% dos votos. Os demais candidatos foram: Rebecca Garcia (PP), com18% dos votos; José Ricardo (PT), com 12%; Luiz Castro (Rede), com 2%; WilkerBarreto (PHS), com 1,5%; Marcelo Serafim (PSB), com 1,3%. Os candidatos Jardel(PP) e Liliane Araújo (PPS) não chegaram a atingir a marca de 1% dos votosválidos. 

 

A eleição suplementar no Amazonas foi definida após acassação dos mandatos do ex-governador, José Melo (PROS), e do seu vice,Henrique Oliveira, punidos por compra de votos nas eleições de 2014. Porenquanto, o governo está nas mãos do presidente da Assembleia Legislativado estado, Davi Almeida (PSD), que assumiu o governo interinamente.

 

Quem vencer as eleições não poderá serdiplomado até que os recursos do governador cassado edo vice dele, também cassado, sejam julgados. Essa foi uma determinação doministro do Supremo Tribunal Federal (STF) Ricardo Lewandowski. 

 

O presidente do Tribunal SuperiorEleitoral (TSE), ministro Gilmar Mendes, destacou o ineditismo das eleições dehoje e elogiou a integração entre Justiça Eleitoral e Forças Armadas para arealização do pleito.

 

“Sem dúvida nenhuma, sem o menor exagero,nós temos talvez, em termos de logística no estado do Amazonas, as eleiçõesmais difíceis do Brasil. Isso exige uma série de providências e, para isso, éfundamental a integração que aqui se vê, entre todas as autoridades,especialmente entre a Justiça Eleitoral e as Forças Armadas. Numa eleiçãoexcepcional, como todos sabem”, ressaltou o ministro em coletiva para aimprensa no Tribunal Regional Eleitoral do estado (TRE-AM). 

 

Eleitores e locais devotação

Segundo o Tribunal Regional Eleitoral(TRE-AM), a unidade federativa amazonense possui 61 zonas no interior e 13 nacapital. Ao todo, são 7.262 seções eleitorais distribuídas em 1.508 locais devotação.

 

O número de eleitores também é grande. Dototal de pessoas aptas a votar, 1.274.399 estão em Manaus, capital do estado. Onúmero representa um aumento de 2,5%, se comparado com as eleições de2014, quando havia 1.243.844 eleitores na capital.

 

Ainda de acordo com o TRE-AM, ao todo,foram utilizadas hoje mais de 7 mil urnas eletrônicas. Destas, 3.500 estãolocalizadas em Manaus. Assim como no pleito tradicional, as seçõeseleitorais, onde ficam instaladas as urnas, ficaram abertas das 8h às17h. 

 

Na eleição direta, 1.533.848 dos eleitorespuderam votar pelo sistema biométrico em Manaus. E, 804.189 sem biometria.Esse método de votação é válido apenas para Manaus e para outras novecidades. 

 

Mais eleições

Além do estado amazonense, os municípiosde Primeiro de Maio (PR), Nova Fátima (PR) e Miguel Leão (PI) realizam nestedomingo eleições para definir prefeitos e vice-prefeitos. O novo pleito ocorreapós a Justiça eleitoral determinar o afastamento dos candidatos eleitos em2016.

 

Na cidade piauiense, Joel de Lima (PSD),conhecido como Professor Joel, foi eleito com 714 votos (53,52 %) e, comJailson de Sousa (PT), vice na chapa, teve o registro cassado por abuso depoder político e econômico, por ter participado de inaugurações enquantoconcorria à eleição.

 

Embora tenha seguido com a candidatura atéa última instância, Lima foi condenado a oito anos de inelegibilidade,restrição que se encerra somente em 2024.

 

Em Nova Fátima (PR), o candidato maisvotado, José Ali Mehanna (PS B), conhecido como Dr. José, foi impedido deassumir o cargo por se enquadrar na Lei da Ficha Limpa. Já em Primeiro de Maio(PR), município com pouco mais de 11 mil habitantes, o Tribunal SuperiorEleitoral considerou Mário Casanova (PP) inelegível. A corte manteve a decisãodo Tribunal Regional Eleitoral do estado. 

 

Tanto no Amazonas, quanto nos municípioscitados, o eleitor que não puder votar deve justificar a ausência em até 60dias. O requerimento pode ser protocolado em qualquer zona eleitoral.

 

* Com informações da Agência Brasil

Outras Notícias